Se você não gosta de parar para planejar…Pense bem antes de abrir seu negócio!

12/02/2009

Olá caros leitores,

Estou eu aqui retornando de minhas fériassssss e de repente me ligo que mesmo de férias não parei de trabalhar! Foram tantas coisas, tantos lugares e em todos eles não parei de observar…observar a clientela, a infra-estrutura, o atendimento, a propaganda e todos os pontos que chamaram a minha atenção e tornam aquele lugar diferente.

Bem vamos lá. Fui a Natal (RN) e lá conheci um barzinho chamado Sargent Pepper’s que me chamou muita atenção pela a sua autenticidade. Realmente o lugar é um charme pois consegue transmitir um clima bem descontraído, amigável e casual, justamente o que propunha no cardápio que aliás contava toda a história do bar…como surgiu a idéia, a quem se destinava o bar, que tipo de ambiente procuravam aquelas pessoas etc… O mais legal é que a concepção do bar surgiu de um grupo de amigos que não conseguiam encontrar local semelhante para bater um bom papo, petiscar “apetitosos” petiscos, ter varias opções de bebidas  e ouvir uma boa música. E realmente, o Sargent Pepper’s é esse  lugar. Com uma iluminação agradável e uma banda acústica, seu variado cardápio atendia desde da comida regional (escondidinho de carne seca) até o popular sanduíche! As bebidas passeavam por todos os gostos. Na Tv a cabo passavam futebol de Pay per View e o ambiente era feito para te deixar descontraído e relaxado. O atendimento foi eficiente, rápido e cordeal. Bem, no meu conceito foi aprovado! Acredito que no da maioria dos clientes também pois o barzinho vive lotado e faz fila de espera pra conseguir uma mesa, o dono já tem até filial.

Mas antes de terminar essa matéria, quero chamar atenção para algumas coisas. Não sei se voces perceberam, mas eu contei que no cardápio do lugar havia a história da concepção do negócio. Observei que desde o início os empresários “pensaram” em 1º lugar no público que iria frequentar o local, procuram desvendar seus mistérios, procuraram saber de que tipo de musica gostariam de ouvir, que comida gostariam de comer e que bebida iriam preferir naquela ocasião e principalmente que clima o lugar deveria envolver seus convidados, ops, digo, CLIENTES porque eles eram a estrela da festa. Todo o clima, tudo aquilo era para agradá-los ( obtendo lucros é claro!) mas o lucro não precisa ficar ás  claras, não é mesmo!, pois para todos os efeitos (e é!) o cliente é o mais importante. Por isso fico triste quando encontro resistência por parte de candidatos á empresários que atendo quando percebo que eles vão ao SEBRAE atrás de soluções generalizadas e negócios mirabolantes que os façam enriquecer da noite para dia visando apenas o “lucro”. Então quando falamos do sonho, da MISSÃO do negócio, do público-alvo, e a quê se proprõe esse empreendimento, as pessoas se vêem perdidas e muitas vezes sem saber AONDE querem chegar! Falar de Plano de Negócio pra elas então…soa como um desistímulo, infelizmente. É uma pena que muitos candidatos a empresário não gostem ou não queiram elaborar seu plano, pois essa é uma ferramenta muito útil na concepção do empreendimento e se voce não gosta de parar e  pensar na “concepção” do seu negócio…quem dirá do gerenciamento. Pense nisso!

Samara Brandão – Analista de Desenvolvimento Empresarial – UDE

SEBRAE/AC