p2040048

Beneficiando o leite vendido por pequenos produtores, laticínio produz queijos de qualidade superior

Juracy Xangai

Agricultor criado na região de Presidente Prudente, em São Paulo, Francisco Hennes Neto, 52 anos, pai de dois filhos viu-se obrigado a deixar a roça devido aos baixos preços pagos pela sua produção e aventurou-se em várias atividades na cidade até começar a trabalhar num lacticínio onde aprendeu as bases do que se transformaria em seu projeto de vida.

Mas a virada aconteceu quando decidiu visitar o Acre para conhecer Plácido de Castro onde sua filha já reside há mais de 15 anos. “Gostei muito da região e vi que haviam muitas oportunidades de montar um negócio por aqui. Voltei para São Paulo, me aperfeiçoei no trabalho do lacticínio, economizei o que pude e decidi vir montar minha queijaria aqui em Plácido de Castro, assim nasceu o Lacticínio Casa Verde!” Explica Hennes.

A queijaria entrou em atividade no dia 26 de maio de 2007 e um ano e meio depois já está industrializando uma média de 1.400 litros de leite por dia. Com isso gera três empregos diretos na queijaria e estimula o aumento da produção de leite pelos 40 pequenos pecuaristas que se localizam a até 20 quilômetros do lacticínio.

Foi durante o Sebrae Itinerante realizado em Plácido de Castro no ano passado que Hennes foi buscar informações para melhorar sua empresa. O lacticínio foi visitado pelos técnicos do Sebrae que depois de conversar com ele identificaram seus pontos fortes e fracos, desde então uma equipe de consultores do Sebrae do Acre, vem orientando o produtor para garantir o crescimento e o sucesso de seu negócio.

“Mais da metade de nossos produtores entregam de cinco a dez litros de leite por dia, é uma quantidade pequena que não interessava muito aos grandes lacticínios. Já a proximidade dos produtores é uma vantagem pra nós porque quanto mais rápido o leite chegar do curral no lacticínio, menor é a acidez do leite e isso garante a fabricação de um queijo mussarela mais suave e saboroso”, afirma Hennes.

Ao definir o queijo mussarela como o principal objetivo de seu lacticínio, Hennes buscou apurar a qualidade do produto que é vendido em barras de quatro quilos, outras de 800 gramas, nozinhos de queijo para saladas ou tira-gosto e provolone. “Mas também atendemos encomendas para fazer outros tipos de queijo, principalmente o minas frescal”, esclarece.
Estimulando a produção

Focado na produção do queijo mussarela, Hennes fez parceria com uma entidade de Rondônia que no ano passado enviou uma especialista para ensinar os pequenos produtores da região a fabricar vários tipos de queijo, doces e até licores que tem como base o leite e soro. “Busco orientar as pessoas para que aproveitem e valorizem a produção de suas propriedades, pois é daí que vem o dinheiro para a gente melhorar e ampliar a produção, do contrário as pessoas vão acabar indo pra cidade como eu mesmo fiz e tive a felicidade de poder voltar a viver na zona rural, mas agora com muito mais qualidade de vida”.

Qualidade garantida – Além de atuar de modo socialmente responsável, o Lacticínio Casa Verde teve desde o início a preocupação de trabalhar legalizado registrando se no Serviço de Inspeção Estadual (SIE) e orientar os produtores sobre a importância da higiene com o leite e vasilhas com que são acondicionados desde o curral, como também no cuidado com os animais e pastagem.

Para isso, Lacticínio e produtores são visitados periodicamente pelo veterinário André Luiz Teixeira de Carvalho que trabalha na Secretaria Municipal da Agricultura de Plácido de Castro.

O município é hoje um dos principais abastecedores da bacia leiteira acreana. Ali, mais de 150 pequenos pecuaristas já produzem mais de 15 mil litros de leite por dia, produção que deverá ser ampliada agora que a prefeitura está investindo R$ 544 mil da Suframa na construção do maior lacticínio do Acre, o qual será concluído em sete meses para ser administrado por uma cooperativa de produtores.

“Neste ano a prefeitura de Plácido está investindo ainda mais na orientação aos produtores, principalmente na higiene com o leite e prevenção contra doenças como a mastite que além de comprometer a qualidade do leite, causam prejuízo aos produtores. Além disso já estamos orientando o manejo da pastagem, manejo dos animais, cuidados especiais com o curral e os utensílios de retirar e transportar o leite”, esclarece o veterinário.

Diante desses incentivos, muitos pecuaristas de Plácido já estão vendendo seu gado de corte para investir na atividade leiteira. “O gado de corte é bom, mas a leiteira é melhor porque é a única atividade que garante renda mensal ao produtor. Além do bezerro, uma vaca que produz 10 litros de leite por dia garante renda de R$ 150 por mês, ou seja, mais de R$ 1.500 por ano. Mas é preciso lembrar que como isso é uma atividade diária, ela exige dedicação permanente do produtor tanto aos animais quanto à pastagem para garantir a regularidade na produção, mas é um trabalho que compensa!”

Outra vantagem é que no sistema extensivo acreano são engordados até três animais por hectare, mas no sistema de manejo leiteiro já há produtores de Plácido obtendo bons resultados com cinco vacas por hectare e, com as novas técnicas de manejo que estão sendo implantados esse número pode chegar a dez ou doze animais num hectare.

Inovação 2009!

As novidades em informação para quem tem ou quer montar seu próprio negócio estão no Sebrae

Juracy Xangai

l Nossas avós já diziam que conhecimento não ocupa espaço e estavam pra lá de certas, principalmente nos dias de hoje quando a falta de conhecimento impede você de ocupar espaços importantes na vida profissional e no mundo dos negócios.
É por isso que o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) vive atualizando e ampliando seus centros de documentação onde que já tem ou pretende montar seu próprio negócio, também estudantes e professores podem tomar livros, CDs, DVDs e filmes emprestados, ou usar gratuitamente seus computadores para realizar pesquisas.
“Inovação 2009 é o lema dos trabalhos que estamos realizando com as novas informações colocadas à disposição de nossos clientes que agora também contam com maior conforto para realizar seus estudos e pesquisas em sala mais ampla e com dois computadores a sua disposição”, explica Rosângela Lima a coordenadora do Centro de Documentação e Informação (CDI) no Sebrae do Acre.

O CDI coloca à disposição de seus usuários mais de 300 títulos em forma de livro e mídias digfitais sobre o tema do empreendedorismo e para a auto ajuda empresarial. Neles há informações que vão desde os procedimentos para a montagem de seu negócio, como também técnicas de como gerenciá-lo melhor ou para melhorar o relacionamento entre os funcionários de uma empresa e com seus clientes para vender mais e melhor.

Para quem deseja tornar-se empreendedor, há projetos com informações detalhadas sobre mais de 40 tipos de empreendimentos como pizzaria, sapataria ou venda de marmitex, que podem ser facilmente adaptados à realidade local.
Empreendedorismo on line

Os CDIs do Sebrae espalhados por todo o país funcionam de modo integrado, então, além dos mais de 300 títulos existentes no Acre, o empreendedor pode utilizar os computadores para buscar informações que estão na biblioteca on line ou mesmo solicitar livros, DVDs , CDs e filmes que estão disponíveis em outros estados para que fique bem informado.
“Nosso centro de informação recebeu muito material sobre atividades como piscicultura, agricultura, horticultura e vários outros ramos do setor produtivo, além disso há orientações para a melhoria da qualidade de produtos, marketing e para a elaboração de planos de negócio. Nosso centro está aberto de segunda a sexta-feira, sempre das oito da manhã até meio dia e das duas às cinco e meia da tarde”, esclarece Rosângela.

Biblioteca itinerante – O CDI mantêm em 2009 sua parceria com escolas técnicas e de segundo grau, universidades e bancos onde realiza exposições, apresentação e empréstimos de seu acervo que estimula o empreendedorismo nas áreas da produção, comércio e serviços.

Também é presença certa em todas as edições do Sebrae itinerante que acontece tanto nos bairros da Capital quanto nos municípios, como por exemplo os que acontecerão agora em março, durante dois dias nos municípios de Mâncio Lima e Rodrigues Alves no Vale do Juruá.

Até de sua própria casa você também pode acessar o acervo do Centro de documentação do CDI do Sebrae  do Acre e demais estados através do site http://www.biblioteca.sebrae.com.br.

Onde buscar informações sobre o negócio que pretendo abrir?

Este é o fator de maior importância para o sucesso de qualquer empreendimento: o amplo conhecimento sobre a atividade escolhida, obtida através do contato direto com os mercados (fornecedores, concorrentes e consumidores), como também sobre as características específicas, operacionais e funcionais do negócio. As informações podem ser colhidas pessoalmente com fornecedores, futuros concorrentes, ou ainda,
pesquisando-se na Internet (em sites empresariais), na literatura, nos Escritórios Regionais, nos Postos de Atendimento ao Empreendedor do SEBRAE ou no site: http://www.sebrae.com.br .
O importante é que esta procura não envolva apenas uma fonte, mas sempre um conjunto delas.